terça-feira, dezembro 09, 2008


paleta de cores do Taraio
Maria Helena Vieira da Silva fez publicar na imprensa diária este Testamento depois da sua morte. Este legado aos seus amigos, será um legado para todos nós.
Traduzi-o com a ajuda da Marine Viera Lino, pela língua mãe, e com a Fátima Lino, Maria da Luz Xavier e Taraio, para a tradução exacta das cores. Deu-nos um enorme prazer. Quando o encontrar coloco-o aqui. Até lá fiquem-se com a beleza deste poema.
TESTAMENT
Je lègue à mes amis
un bleu céruléum pour voler hautun
bleu de cobalt pour le bonheur
un bleu d' outremer pour stimuler l' esprit
un vermillon pour faire circuler le sang allègrement
un vert mousse pour apaiser les nerfs
un jaune d'or: richesseun violet de cobalt pour la rêverie
une garance qui fait entendre le violoncelle
un jaune barite: science-fiction, brillance, éclat
un ocre jaune pour accepter la terre
un vert Véronèse pour la mémoire du printemps
un indigo pour pouvoir accorder l' esprit à l'orage
un orange pour exercer la vue d' un citronnier au loin
un jaune citron pour la grâceun blanc pur: pureté
terre de Sienne naturelle: la transmutation de l'or
un noir somptueux pour voir Titien
une terre d' ombre naturelle pour mieux accepter la mélancolie noire
une terre de Sienne brúlée pour le sentiment de durée.
Maria Helena Vieira da Silva

2 comentários:

Anônimo disse...

Rever sem o deixar de ver todos os dias através da obra, é a minha recordação do Taraio.
Um amigo de há pouco mas com o sentido de sempre
Beijinhos companheiros nesta perca.
António

Submarino Amarelo disse...

O Taraio não era homem de muitas palavras sobre a sua arte. O que tinha a dizer dizia-o com o pincel. Mas adorava conversar e falar sobre aparentes trivialidades e banalidades, era alguém para quem tudo era extraordinário!
Algumas palavras dele ainda estão na nossa memória mas o que ele disse está nos seus quadros.