quinta-feira, julho 17, 2008

AMOR EM VISITA


Escultura de Armando Correia
(...)
Quando o fruto empolga um instante a eternidade
inteira, eu estou no fruto como sol
e desfeita pedra, e tu és o silêncio, a cerrada
matriz de sumo e vivo gosto.- E as aves morrem para nós, os luminosos cálices
das nuvens florescem, a resina tinge
a estrela, o aroma distancia o barro vermelho da manhã.
E estás em mim como a flor na ideia
e o livro no espaço triste.
(...)
Herbérto Helder

4 comentários:

o das caldas disse...

Ai Guida - Pode ser Guida? - como te compreendo! Permito-me apenas sugerir que não tenhas pressa em atingir a meta mas lá chegarás com passos largos e seguros!
2 beijinhos

Maria Clarinda disse...

Margarida, não imaginas como foi bom andar pelo teu cantinho, e passar momentos tão mágicos que não vi que se tinham transformado em horas...
Obrigada por eles. Jinhos de saudade.

Anônimo disse...

São estes pequenos/grandes momentos que ficam na memória do tempo.
Linhas redondas que dão volume ao corpo pujante de mulher e delicados rostos numa graça subtil.
São estas as imagens que vamos guardar do Armando.
Beijinhos doces do António
Blog com cara lavada mas com os sentimentos de sempre.

vasco disse...

Olá Guidó
excelente ideia esta foto de uma peça deste nosso bom amigo. bem hajas. Vasco